A sua Instituição de Ensino está preparada para o cenário de 2019?

Em 2019, as instituições de Ensino Superior privadas brasileiras poderão viver um agravamento do cenário de incertezas e problemas, que inclusive já começou a se apresentar, com a queda do número de matrículas. Será essa a constatação de que a crise se consolida como um quadro estável e de longo prazo?

Sem recursos públicos, que serão cada vez mais escassos, o número total de matrículas, que foi impulsionado pelo ingresso dos estudantes devido aos diversos programas de financiamento, tende a voltar a cair. Já em 2018, verificamos a queda de matrículas por conta de problemas com financiamentos estudantis como o FIES. Como consequência desses problemas, haverá uma redução de 20% do número de estudantes que recorrem aos recursos públicos para alcançar uma formação universitária, de acordo com a Federação Nacional das Escolas Particulares.

O último levantamento sobre o tema, realizado pela Associação Brasileira de Ensino a Distância, mostra que as instituições que oferecem cursos totalmente on-line respondem por 50% do total da taxa de evasão no Ensino Superior brasileiro. Nos cursos semipresenciais e presenciais, a proporção é de 25%.

A importância do ensino EAD em 2019.

Os motivos apresentados por alunos matriculados em universidades privadas e públicas para a desistência são: falta de tempo, questões financeiras e dificuldade de adaptação. Tempo e dinheiro são justamente os fatores que aumentaram a taxa de matrículas no EAD.

A expectativa é de que, diante de um terreno fértil moldado por uma nova regulamentação do setor, pela crise econômica e por mudanças nas regras do financiamento público estudantil, a modalidade EAD saia do patamar atual de 18,6% para 50% do total de matrículas em faculdades e universidades, dentro do período de pouco mais de 10 anos, e iguale ou até ultrapasse os números do ensino presencial.

Muita informação, né?

Calma! Vamos às soluções!

Invista em oferecer outras modalidades de curso, além da graduação.

Na sociedade brasileira, há a perspectiva de avanço de uma ideologia da informalidade. O que isso quer dizer?

A graduação passa a não ser vista como o único ou o principal caminho para conquistar uma boa carreira. O candidato precisa em mente que, se ele for suficientemente habilidoso, conseguirá um ótimo emprego, tendo como base diversos cursos livres, workshops intensivos, programas de ensino a curto prazo, extensões, entre outros formatos, e que, dessa forma, poderá conquistar ótimas oportunidades profissionais alternativas.

Por isso, é essencial que a sua instituição de ensino abranja possibilidades de cursos diferentes, que não sejam apenas de graduação, e esteja engajada nesse novo caminho que os candidatos estão tomando.

Aqui, reforçamos mais uma vez a importância de estar presente no dia a dia dos candidatos e dos alunos, para entender a situação atual de cada um e oferecer possibilidades que facilitem o ingresso dele e a continuidade na sua instituição.

Seja aquele amigo que dá o conselho certo, na hora certa e, com certeza, os desafios se transformarão em oportunidades para a sua instituição de ensino 🙂

Quer compartilhar ideias e informações? Fale com a gente:

                         Envie um e-mail         |        Solicite um contato

                                           Ligue para 0800-6004700